Versões: Antonio Gamoneda


Amor

A minha maneira de te amar é simples:
aperto-te contra mim
como se existisse um pouco de justiça no meu coração
e eu ta pudesse dar com o corpo.

Quando mexo nos teus cabelos
algo de belo se forma entre as minhas mãos.

E quase não sei mais nada. E só quero
estar contigo em paz e em paz
com um dever desconhecido
que às vezes pesa também no meu coração.


Antonio Gamoneda, «Amor» retirado de Blues Castellano (1961-1966), inserido em Edad (Poesia 1947-1986), edição de Miguel Casado, Madrid: Catedra, 6ª edição revista, 2006, p. 192.

1 comentário:

Carla Surpresa disse...

Blog adorável. Continuarei a passar por cá. Beijinho, CS